OBJECTIVOS, DESTINATÁRIOS E ÁREAS DE ACTUAÇÃO

 

Os serviços vêm assumindo um peso crescente na economia actual, sendo a sua presença na globalização e na internacionalização das economias  cada vez mais importante.

 

Em Portugal, entre 65% e 70% daquilo que o país exporta são serviços. Ou seja, aos 30% de exportações directas de serviços no total das exportações, junta-se cerca de 50% de incorporação de serviços contidos na exportação de bens (produtos materiais)exportados.

A balança de serviços vem registando, nos últimos anos,  – ao contrário da balança de bens –um saldo crescentemente positivo, tendo, aliás, contribuído de forma determinante para que Portugal registasse em 2012, pela primeira vez desde a  II Guerra Mundial, um “superavit” na sua balança comercial (bens e serviços).

 

Falar de “sectores exportadores” ou de “sectores transacionáveis”, marginalizando os serviços,  é dar provas de ignorar as profundas transformações que atravessam o funcionamento das economias avançadas e, consequentemente, um factor que impede o delinear  de uma estratégia que potencie a nossa internacionalização e reforce a nossa capacidade competitiva. Sem um sector dos serviços forte e dinâmico a economia portuguesa não conseguirá crescer, nem criar emprego, nem reduzir a sua dependência face ao exterior.

É neste contexto, que a CCP se propôs constituir um Fórum dos Serviços, enquanto  espaço privilegiado de intervenção pública e de debate  sobre os problemas e os caminhos a percorrer pelo sector.

  1. Objectivos

 

Constituem objectivos do Fórum:

 

  1. Contribuir para a reflexão e debate em torno do ”modelo económico“ que possibilitará a Portugal encetar um novo ciclo de crescimento e desenvolvimento sustentável, pugnando por uma “especialização inteligente” da nossa economia. Isto é uma especialização baseada numa maior criação de valor acrescentado nacional e que invista numa diferenciação competitiva, na economia global, baseada nos nossos principais factores competitivos: o território e os recursos humanos.

 

  1. Elaborar e apresentar propostas de política pública que contribuam para reforçar a capacidade competitiva das nossas empresas no exterior, nomeadamente, impulsionando a criação de “novas vagas” exportadoras em sectores e segmentos de empresas tradicionalmente secundarizadas ao nível das políticas de internacionalização.

 

  1. Promover iniciativas que favoreçam a criação de “clusters” e de plataformas de actividades de serviços orientadas para o exterior, fomentando a cooperação interempresas, o desenvolvimento de serviços emergentes e a criação de novos produtos e conceitos de valor acrescentado.

 

  1. Destinatários

O Fórum dos serviços pretende agregar, associações empresariais, empresas com actividades de serviços, entidades  e personalidades do meio académico e cientifico que, numa base independente, se proponham contribuir para valorizar o papel dos serviços na economia.

  1. Áreas de Actuação

São áreas de actuação e campos de iniciativa a promover pelo Fórum, os seguintes:

  1. Promover a realização de Seminários e Encontros-debate, visando analisar os problemas e desafios que se colocam ao sector dos serviços e elaborar propostas tendentes a reforçar a capacidade competitiva do mesmo;

 

  1. Elaborar estudos, relatórios e documentos de trabalho, sobre temas de relevante interesse para o sector;

 

  1. Promover acções de formação profissional de especial interesse estratégico para o sector, recorrendo em particular a parcerias com prestigiadas instituições académicas;

 

  1. Assegurar uma presença online do Fórum através da criação de um lugar («site») na comunicação digital, para divulgação do Fórum e das suas acções e, contendo, igualmente, informação relevante sobre o sector;

 

  1. Constituir grupos de trabalho temáticos, tendo especialmente em consideração os diferentes sub-sectores e «clusters» existentes e cuja finalidade será analisar e propor estratégias, políticas e iniciativas nas suas respectivas áreas;

 

  1. Realizar iniciativas e acções promocionais diversas, visando dar a conhecer áreas ou domínios com elevado potencial junto de destinatários nacionais e internacionais;

 

  1. Promover uma cultura de cooperação entre as empresas do sector e deste com outros sectores de actividade, funcionando como um espaço facilitador de intercâmbio empresarial;

 

  1. Realizar com carácter bienal de uma Convenção de Serviços com vista a debater e apresentar as grandes linhas estratégicas para o sector e as principais propostas de política sectorial.